Nuevos paradigmas científicos y nuestra realidad

Esperança em tempos de desespero no Brasil.

05.02.19 | 15:18. Archivado en Dignidad de la persona humana

A leitura do importante livro de Albert Nolan, sacerdote dominicano sul-africano, “Esperança em tempos de desespero” (Paulus SP, Brasil 2012) nos leva a meditar com grande responsabilidade em nosso futuro, no momento atual do Brasil.

O século XVII produziu na Europa uma explosão de otimismo. Os filósofos e cientistas rejeitaram ao autoritarismo da Igreja e recorrendo à razão confiavam plenamente no “progresso humano”. Mas a revolução Francesa se tornou opressora. Muitos acreditaram então no mundo socialista de igualdade e solidariedade. Mas, os governos comunistas da União Soviética se tornaram opressores e totalitários.

Surgiu então a esperança da expansão capitalista e a economia de livre mercado. A perspectiva era de um crescimento econômico ilimitado e em todo o mundo. Os estados de bem-estar social eram uma esperança até 1970-80, anos de introdução do neoliberalismo que combateu o estado de bem-estar social porque colocava limites ao mercado livre. Nada de limites! Pede o ego reptilico; deve-se depositar toda confiança no livre desenvolvimento e na auto regulação do mercado. Uma espécie de Fé terrena, que, de acordo aos neoliberais, seria cientifica. O marxismo materialista também se proclamava cientifico.

Bruckner (“A Tentação da Inocência” Rocco RJ 1997) descreve, de forma excelente, esta Fé terrenal: “O consumo é uma religião degradada, a crença na ressurreição infinita das coisas cujo supermercado seria a Igreja e a publicidade os Evangelhos”.

Assim, tudo deve ficar submetido ao mercado, tudo tem que supeditar-se à logica da produtividade e do consumo. O Estado deixará de ser garante da saúde e educação, especialmente dos mais pobres, para criar um modelo mercado centrico puro, onde cada qual proverá suas necessidades na medida em que possam. Os seres humanos perderemos rapidamente o que nos identifica: nossa relação com Deus e nossa fraternidade, para entrar numa luta de todos contra todos para entrar no paraíso neoliberal.

Jesus, pelo contrário, deu importância significativa a: saúde e comida. Por isto não existia enfermo que não curasse e gente com fome que não dera de comer. Existem hoje 900 milhões de pessoas com fome especialmente em África e América latina. E Brasil vai apoiar a politica de Trump que deseja edificar um muro entre USA e México, e que não deixa entrar aos milhares de imigrantes com fome que desejam somente comer as sobras dos Ricos.

Emmanuel Mounier (1905-1950), quem teve a ideia de fundar um movimento para quebrar com a “desordem estabelecida”, o que foi concretado em 1932, com a criação da revista Esprit que defendia uma revolução personalista e comunitária capaz de se opor ao capitalismo liberal e ao comunismo marxista, explica: “Acima das pessoas não reina a tirania abstrata de um Destino, de um céu de Ideias ou de um Pensamento impessoal, indiferente aos destinos individuais, mas um Deus pessoal, embora de modo eminente, um Deus que ‘pagou com sua pessoa’ para assumir e transfigurar a condição humana, e que propõe a cada pessoa uma relação singular de intimidade, uma participação na sua divindade”.

Um Deus que não se afirma, como pensou o ateísmo contemporâneos, pelo que arrebata ao homem, mas outorgando-lhe, pelo contrario uma liberdade análoga à sua”. Mounier esteve presente nas ideias pedagógicas de Paulo Freire (Ver: H. Flenk Histedbr on-line, Campinas 2014, 58, 244-56) no pensamento de Alceu Amoroso Lima (1893-1983) e Henrique C. Lima Vaz (1921-2002),e de vários movimentos de juventude operaria, universitária, de ação católica etc. que se opuseram a hierarquia eclesiástica pela su atitude frente ao governo militar surgido em 1964.

Devemos mencionar também ao Professor Edgar de Godói da Mata-Machado que segundo Patrus A. de Souza (Psicologia em revista, Belo horizonte, 2013, 19, 328-339) “A justiça foi para ele uma estrela guia na melhor tradição de......vale dizer, na melhor tradição fundada por Jesus de Nazaré e vivenciada, ao longo dos séculos, pelos que têm fome e sede de justiça”. Edgar foi confidente de George Bernanos que durante sete anos morou no Brasil. De Souza afirma: “No povo humilde dos sertões do Brasil, Bernanos e Edgar punham sua fé. Foi essa fé no povo brasileiro, a partir dos pobres, dos camponeses, agricultores, trabalhadores, articulada com a sua fé no mistério cristão, que fizeram de Edgar da Mata-Machado esse símbolo admirável do que há de melhor na nossa gente, na brava gente brasileira”.

Curiosa e inesperadamente o neoliberalismo de Estados Unidos junto aos Fundamentalistas religiosos enquanto conformavam o eleitorado protestante e católico conservador com temas como aborto, família, tradição etc. na realidade aplicavam um programa que destruía os valores que falavam defender. As politicas capitalistas neoliberais são a causa da destruição do homem, da pessoa humana, mais que o marxismo. Porque o capitalismo requer indivíduos dóceis e separados da família e de toda comunidade social, e susceptíveis aos ataques de uma sociedade consumista individualista que o capitalismo conseguiu realizar.

Alguns dirigentes da denominada esquerda contribuíram para isso, ao apoiar como de cunho progressista o aborto, a teoria de gênero, a ruptura total com toda tradição, etc. sem considerar que ela não pode ser autentica se não for nutrida por uma espiritualidade muito seria e profunda. Porque questões como igualdade, fraternidade, acolhida, respeito, serviço são espirituais demais ( e odiadas demais) para acreditar que podemos alcança-las melhorando o PIB.

Lamentavelmente, esta ideia chegou ao Brasil neste momento histórico, da mão de neopentecostais, que lucram com a religião, e de protestantes e católicos conservadores enganados por um sistema que despersonaliza o ser humano, o massifica com seus estudos de propaganda iniciado em USA em 1920, os aliena de tal forma que sua identidade humana dada pelo seu relacionamento, como escrevia o grande filosofo judeu Martin Buber, passa a ser a de seus ídolos: dinheiro, prazer, fama, comodismo etc. Sua verdadeira identidade de sua relação com Deus foi reprimida.

É a sociedade onde predomina o “ego reptilico”, ao contrario do “ego espiritual”, como foi indicada em meu trabalho “Original Sin: a New Historical-evolutionary View” (Syntropy 2017, 1, 43-56) que se corresponde com o eu falso e o eu verdadeiro de Merton, nos egos inconscientes: instintivo e espiritual de Viktor Frankl, e se observa na antropologia de S. Paulo (Rm 7:21-24). Este ego reptilico é o que estimula a liberdade absoluta do ser humano, que se absolutiza a si mesmo, se fecha, porque essa liberdade é insuportável de viver, e assim perde contato com a realidade, para cair em diferentes vícios: droga, extremismo politico, no misticismo de camelô etc.

O Concilio Vaticano II criou uma esperança na renovação da Igreja, no sentido da liberdade radical de Jesus e do Evangelho. No entanto, todos os benefícios do Concilio foram lenta e persistentemente indo para o sentido oposto.

Atualmente a Igreja esta convulsionada pela pederastia y abusos seriais de sacerdotes, bispos etc. que foram ocultados durante muitos anos, ate que chegou Francisco que deseja limpar e renovar a Igreja, mas não encontra colaboração unanime e ate oposição de setores conservadores.

Estes fatos criaram uma sociedade onde muitas pessoas já não esperam nada, em algum sentido é a sociedade do desespero. No entanto, para um cristão sempre existe a esperança. Nas palavras de Paulo “esperamos contra toda esperança”. O objeto da esperança cristã é a vinda do Reino de Deus que foi a fundamental predica de Jesus nos Evangelhos. Por isto no Pai-Nosso rezamos “Venha a nós o vosso reino; seja feita vossa vontade, assim na terra como no céu”. A vontade de Deus e sempre o melhor para todos nos e toda a criação.

Para isto devemos mudar a visão de porque Deus “permite” que as pessoas sofram com esta situação para aquela que Deus esta sofrendo com todos nos. Deus esta entre as vitimas da injustiça. Foi esse o sentido da crucificação, Jesus foi vitima da crueldade humana.

Mouniier (O personalismo, Texto-Grafra, Lisboa 2010) explica: ”Um estudo mais aturado dos factos leva-nos a pensar que esta crise não é o fim de cristianismo, mas o fim de uma cristandade, de um regime de mundo cristão carcomido que parte as amarras e parte à deriva, deixando para trás de si os pioneiros de uma cristandade nova” e ao observar que a crise e mais amplas, é dos valores religiosos no mundo ocidental afirma “Mas uma lição, agora evidente, do século XX é está, onde as formas religiosas desaparecem sob o seu rosto cristão, ressurgem sob outro dado: divinização do corpo, da coletividade, da Espécie no seu esforço de ascensão de um Chefe, de um Partido etc”. Estas são formas degradadas e retrogradas em relação ao Cristianismo porque se elimina de alguma forma a pessoa humana e a suas exigências. Este é o problema crucial do Brasil hoje.


O novo governo do Brasil: contradição e iniquidade

28.01.19 | 23:26. Archivado en Dignidad de la persona humana

Os jornalistas escrevem que o novo governo do Brasil seria uma mistura de fundamentalismo religioso com uma politica econômico-social neoliberal. Devemos analisar sem duvidar, o que significam estas duas caraterísticas.

Toda politica econômica social tem seu fundamento numa concepção do homem. O ser humano para o liberalismo e o neoliberalismo, a partir dos fundamentos estabelecidos por Locke, Bentham, Smith, Mill, Hayek e outros, é essencialmente egoísta, individualista, motivado pelo prazer que se transforma em hedonismo e relativismo.

>> Sigue...


Brasil: Do sonho de potência ao sonho de grande Porto Rico

29.11.18 | 19:23. Archivado en Dignidad de la persona humana

O motivo da presente nota é criar um espaço de dialogo neste único meio de comunicação realmente livre de que dispomos para esclarecer algumas verdades que são ocultadas, em geral, pelos meios de comunicação massiva.

Neste sentido procurarei analisar o pensamento do recentemente nominado Ministro de Relações Exteriores através de seu artigo “Trump e o Ocidente” publicado em Cadernos de Política Exterior (ano III, n° 6, segundo semestre 2017). Ou seja, escrito o ano passado.

Podemos citar algumas frases que definem, de alguma forma, parte de seu pensamento: “Assim como a eleição de Trump fora, talvez, a mais extraordinária da história americana”, “Muita gente não sabe que o Ocidente está jogando, muito menos que está perdendo”.

>> Sigue...


La Gran Ramera está terminando su obra en Argentina y Brasil (2da parte)

30.08.18 | 14:22. Archivado en Dignidad de la persona humana

Un análisis basado em reconocido teólogo español

II- Brasil

El Estado brasileño no vivió ningún desastre colectivo. Su conformación inicial fue de un conservadorismo total, que será una constante en su evolución histórica, lo cual le permitió abolir la esclavitud sin ningún conflicto social, proclamar la republica sin problema, e industrializar el país, sin ruptura con la vieja oligarquía primaria, en contrapartida dejando una clase obrera pobre o miserable, pacifica, sin acceso a los bienes de los cuales debía participar.

>> Sigue...


Angelelli, Francisco, Historia, Iglesia y Mundo

03.08.18 | 00:12. Archivado en Dignidad de la persona humana

Ante el incalificable ataque del diario La Nación a nuestro mártir: Angelelli.

El Concilio Vaticano II olvidado, resucita en los profetas como Angelelli.

Claramente en una entrevista con Roxana Alfieri de Vida Nueva digital 02/08/18,(Colombia) el obispo de la Rioja, de Argentina, Marcelo Colombo define: “Como un famoso pasquín riojano de los años 70: ‘El Sol’, cuyo dueño lo era también del casino que Angelelli tanto había combatido, La Nación retoma la vieja práctica de la descalificación gratuita de un hombre que supo ser un pastor ejemplar, un abnegado servidor de la comunidad cristiana y un testigo fiable de Dios en aquellos tiempos”.

>> Sigue...


La Gran Ramera está terminando su obra en Argentina y Brasil (1ra parte)

14.07.18 | 23:38. Archivado en Dignidad de la persona humana

Un análisis basado en reconocido teólogo español

El reconocido teólogo español Xabier Pikaza explica que la Gran Ramera (=prostituta) sería el poder económico-civil (prostituta) que cabalga sobre los lomos de la primera bestia, el poder político-militar y se deja divinizar por la segunda bestia, el poder ideológico (Religión Digital “La Gran Ramera. Apocalipsis 17”).

>> Sigue...


La sombra del poder imperial (666) se extiende por latino américa a través de Argentina y Brasil (segunda parte)

05.06.18 | 22:29. Archivado en Dignidad de la persona humana

Un análisis basado en reconocido teólogo español

Debemos analizar el porqué de la necesidad de divinización de los imperios en contra del verdadero Dios. En un trabajo (Yunes, 2017) sobre una nueva concepción del pecado original, este autor, muestra que los pueblos primitivos eran monoteístas, creían en un Dios personal con rasgos esenciales que eran: paz, igualdad social, ausencia de dominación masculina, respeto por la naturaleza, inexistencia de inhibición sexual.

>> Sigue...


La sombra del poder imperial (6,6,6) se extiende por latino américa a través de Argentina y Brasil (Primera parte)

29.05.18 | 00:02. Archivado en Dignidad de la persona humana

Un análisis basado en reconocido teólogo español

El reconocido Teólogo español Xabier Pikaza en su artículo “Número de la Bestia (666)”, la opresión económico publicado en RD escribe dos frases importantes: “El Apocalipsis no trata de algo que sucederá simplemente en el futuro, sino del sentido y condición del presente” y “El número (666) pudo aplicarse en otro tiempo al imperio/economía de Roma; hoy puede aplicarse a un tipo de poder económico/político/militar que quiere y no puede divinizarse, pero que destruye a los hombres, especialmente los pobres”.

>> Sigue...


INFORMACION, ESPACIO Y TIEMPO (parte2)

15.05.18 | 22:38. Archivado en Dignidad de la persona humana


El origen del Universo

1)La Unificación de la teoría general de la relatividad y la mecánica cuántica

Newton pensaba que el espacio y el tempo eran absolutos, es decir, un escenario invariable en el cual se desenvolvía el universo, Sin embargo, a concepción de Leibniz era completamente diferente, para él el espacio y el tiempo eran considerados como relaciones entre eventos y no sustanciales e independientes.

La teoría general de la relatividad al conectar la geometría del espacio-tiempo con la distribución de la energía-materia (o sea con eventos físicos) pareció solucionar el problema a favor de la concepción de Leibniz. Sabemos que a mayor concentración de energía-materia la curvatura es mayor, la curvatura del sol es mayor que la de la tierra y así esta gira en torno del mismo. Pero, de Sitter publicó una solución de la Relatividad General con una bien definida geometría y con cero densidad de energía-materia, creando nuevamente un compromiso con la teoría de Newton (van Fraassen, 2013).

>> Sigue...


Macri: el mesianismo inverso neoliberal

06.05.18 | 22:43. Archivado en Dignidad de la persona humana

Un poder basado en la mentira y protegido por los medios de comunicación

Según el teólogo español Pedro Trigo “dar una buena noticia a los pobres es una señal mesiánica por excelencia” (curasopp.com.ar/web/es/porpedro.trigo/113-el-poder-de-jesus), basado en Lc. 4:18 y 7:22. En Lc 4:18 Jesus en la sinagoga de Nazaret dice “El Espíritu Santo está sobre mí, porque me ungió para evangelizar a los pobres…” y en Lc 7:22 “Id y comunicad a Juan lo que habéis visto y oído: los ciegos ven, los cojos andan, los leprosos quedan limpios, los sordos oyen, los muertos resucitan, los pobres son evangelizados…”

>> Sigue...


CIENCIA Y METAFISICA (parte 1)

17.04.18 | 21:05. Archivado en Dignidad de la persona humana

I) Observando la “realidad”

1- Información y cultura contemporánea

La cultura contemporánea, por lo menos en estos dos últimos siglos, se ha convertido en esquizofrénica (del griego schizein=dividido), dividida entre las ciencias humanas, especialmente la filosofía (en su concepción del mundo), y las ciencias experimentales y la matemática, que son los fundamentos de nuestras nuevas tecnologías.

>> Sigue...


El pecado original del neoliberalismo

16.02.18 | 20:07. Archivado en Dignidad de la persona humana

En un trabajo publicado recientemente (R.A. Yunes “Original Sin: A new Historical-evolutionary view” Syntropy 2017 (I) 43-56) sugerí que el edén primitivo existió durante miles de años hasta aproximadamente el 6000 a C.

Las comunidades primitivas eran reducidas a decenas de personas que vivían como cazadores y recolectores en una extrema igualdad social. Esto inspiró a Marx a denominarlo “el comunismo primitivo”. Ningún individuo podía acumular más de lo que podía transportar, o de aquellas que precisaba para su uso inmediato en lo cual todos se sentían obligados a compartir.

>> Sigue...


Lunes, 18 de febrero

BUSCAR

Editado por

Hemeroteca

Febrero 2019
LMXJVSD
<<  <   >  >>
    123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728